Google Tradutor

Quem sou eu

Minha foto
Espírito Santo, Brazil
Professora Educação Infantil. Costumo ser reservada e tímida, ás vezes gosto de ficar sozinha. Vivo o presente. Sou do tipo de pessoa que vive o “aqui e agora”. Não gosto deixar nada pra depois. Preciso de liberdade e independência para fazer minhas próprias coisas. Alegria sempre. Nada de ficar reclamando das dificuldades. Deus conhece nossa capacidade. "Posso não saber o quanto vou ter que caminhar, mas eu continuarei andando e sorrindo. Vou aprendendo a viver e a conviver. Levo comigo uma bagagem cheia de decepções, momentos felizes e alguns não muito.. meus erros, minhas lágrimas, minhas derrotas e vitórias... Não quero ser perfeita , eu quero é cair e levantar rindo... levantar e limpar as mãos e os joelhos e me preparar para correr de novo ,dessa vez mais rápido ainda. Se não quiser que eu te decepcione não faça demasiadas expectativas..."

Marcadores

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Brincadeiras estimilantes para seu bebê (Recém-nascido a 3 meses)

Fonte:  Baby Center
Dois pra lá, dois pra cá

Naquele finalzinho de tarde melancólico, em que ele invariavelmente abre o berreiro, sempre na mesma hora, como se fosse relógio, experimente colocar uma música bem gostosa (só não exagere nas batidas e no volume), segurá-lo nos seus braços e dançar juntinho pela casa.
Vá com calma e comece com movimentos mais suaves, não se esquecendo de apoiar o pescoço do neném e de não sacudi-lo. Quando seus braços cansarem, deite o bebê de modo que possa acompanhar você e mantenha os passos.

Movimentos exagerados e engraçados, como rebolar ou balançar braços para cima e para baixo, são especialmente cativantes para crianças pequenas.
 
Olha que legal!

A maior parte das brincadeiras desta fase consiste em mostrar coisas para o seu filho. Vale qualquer objeto da casa que não corte, queime ou possa ser engolido. Bebês adoram colheres, espátulas, tampas, embalagens de margarina ou xampu vazias e lavadas, almofadas aveludadas, caixinhas de presente e paninhos.

Tenha uma "caixa secreta" de itens interessantes por perto para, de repente, tirar alguma surpresa de lá como se fosse mágica. Segure o objeto a cerca de 30 centímetros de distância do bebê e encare-o com encantamento para mostrar como isso funciona para seu filho. "Nossa, olha que incrível como essa caixa abre e fecha!".

No que diz respeito a livros, não espere que uma criança tão pequena realmente entenda do que se tratam. Mas o ritmo da sua voz e a sua companhia, além de estímulos visuais, costumam ser apreciados pelos pequenininhos. Você vai saber se ele está gostando da atividade se ficar atento e quietinho enquanto você vira páginas e aponta para formas e ilustrações coloridas.

Os bebês não costumam prestar atenção por muito tempo e quando ficam um pouco mais velhos começam a pegar os livros da sua mão e fechá-los. Não estranhe, porque isso faz parte do desenvolvimento. O que conta para eles é a interação com você, não a história em si.

O que é isso em cima da minha cabeça?

Você logo vai perceber como dá para se divertir achando tesouros na sua própria casa, sem ter que sair por aí gastando dinheiro. Veja a seguir três ideias para começar:

• amarre ou cole fitas ou tecido em uma colher de pau e suavemente passe por cima e na frente do rosto do bebê.

• pegue um lenço mais sedoso e balance-o pelo ar, deixando-o pousar na cabeça do bebê.

• enrole um brinquedo pequeno em um daqueles elásticos mais molinhos e lance-o para baixo e de volta às suas mãos, como se fosse ioiô, falando "Boing! Boing!" toda vez que descer.

Observação: Nunca deixe uma criança sozinha com fitas e laços, porque eles podem facilmente ficar enrolados no pescoço ou ser colocados na boca.


Solte a voz

A sua voz é um susto? Não tem o menor problema, porque seu filho não sabe disso e tudo que sai da sua boca é música para os ouvidos dele.

Caso ainda não tenha feito isso, é hora de reaprender alguns clássicos do repertório infantil, como "Boi, boi, boi, boi da cara preta…", "Ciranda, cirandinha…", "Como pode um peixe vivo viver fora…", "A canoa virou…" e "A dona aranha subiu pela parede…". Se não conseguir se lembrar das letras, faça uma busca na Internet.

Procure fazer vozes diferentes, mudar o tom, cantar mais baixinho e, de repente, mais alto, incluir o nome do bebê na música. Acrescente objetos ao número musical, como um fantoche ou até uma meia colocada em cima da sua mão fechada.

Pode ser que a princípio tudo pareça meio bobo, mas, à medida que você perceber o quanto seu filho gosta de ouvir você cantar, isso passa. A verdade é: acostume-se a cantar, porque a música tende a ser parte essencial da infância e do aprendizado das crianças.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Desenvolvimento: 7 a 12 meses

Fonte: Kuka

Sétimo mês
•Senta com mais domínio do corpo e se inclina para frente;
•Grita, chora alto e demonstra muito bem seus sentimentos, quando contrariado;
•Troca o objeto de mão com firmeza e usa a palma para segurá-lo e mantê-lo preso;
•Dá tchau com os bracinhos.
Oitavo mês
•Levanta-se quando ajudado pela duas mãos;
•Engatinha facilmente;
•Reconhece o seu próprio nome.
Nono mês
•Começa a ficar de pé e adora apoiar em móveis;
•Escala e sobe as escadas;
•Já compreende algumas palavras e tenta imita-las;
•Joga brinquedos no chão para escutar o som que fazem.
Décimo mês
•Quando acordado, prefere ficar de pé ou sentado;
•Usa o dedo indicador para explorar;
•Começa a falar papai e mamãe.
Décimo primeiro mês
•Dá passinhos apoiados pelas mão de adulto;
•Segura o copo para beber;
•Adora o contato com outras crianças;
•Demonstra alegria quando vê os avós e tios e fica tímido com estranhos.
Décimo segundo mês
•Fala mais e por monossílabos;
•Ensaia os primeiros passos sozinhos;
•Andar e mexer são seus passatempos favoritos;
•Começa a se alimentar sozinho e já pode comer a dieta da casa;
•Expressa emoções e reconhece os outros.

Desenvolvimento: 1 a 2 anos

Fonte: Kuka

As conquistas nos próximos 12 meses indicam o progresso de crescimento do bebê. Embora cada criança seja um indivíduo único, há uma série de progressos que você pode esperar dele durante esse ano.
Conquistas das mãos e dos dedos
•Atira objetos, ainda que não em linha reta;
•Come com a colher;
•Aprende girar o pulso.
Conquistas sociais e emocionais
•Pode ficar longe de você por períodos maiores;
•Brinca ao lado de outra criança;
•Pode ajuda-lo em tarefas simples;
•Mostra afeto por brinquedos, outra criança ou bicho.
Conquistas de linguagem
•Progride de palavras isoladas para frases de dois termos;
•Responde verbalmente as perguntas;
•Diverte-se ao dizer nomes de objetos do cotidiano.
Conquistas intelectuais
•Lembra-se de eventos que ocorrem regularmente;
•Começa a entender o conceito de posse;
•Faz ligações entre objetos ao vivo e fotos.
Conquistas de movimento
•Aprende a andar sem ajuda;
•Sobe na cadeira com segurança;
•Anda, pára e volta;
•Carrega um objeto na mão enquanto anda.

Brincadeiras com Crianças na Educação Infantil


1-PESCARIA: Uma bacia com água, peixes de plástico e varinhas de pescar. Uma pessoa de cada equipe terá 30 segundos para tentar pescar. Quem conseguir mais peixes será o vencedor.
2-CORRIDA DAS FRUTAS: Cada equipe terá uma árvore e suas frutas. Uma criança de cada equipe terá que correr e colar as frutas em sua árvore. O objetivo é ver quem consegue colar todas as frutas primeiro, tornando-se assim o vencedor.
3-DERRUBA LATAS: (uma pilha de latinhas de alumínio). Será escolhida uma criança por equipe. O objetivo é ver que equipe consegue derrubar mais latinhas com uma bolinha
4-CORRIDA DO BAMBOLÊ: Serão escolhidas duas crianças de cada equipe uma ficará parada para receber o bambolê e a outra correrá para levar o bambolê (a criança que ficar parada terá que ficar dentro do bambolê). O objetivo é ver quem consegue terminar todos os bambolês primeiro.
5-CORRIDA DAS GARRAFAS: Cada equipe terá no mínimo três garrafas, uma criança da equipe terá que levar uma garrafa por vez até o outro lado rolando a garrafa. Quem conseguir levar primeiro todas as garrafas será o vencedor.
6-COMPETIÇÃO DA BOLINHA: Serão colocadas duas caixas por equipe. Uma com bolinhas e a outra vazia. Dada a largada uma criança de cada equipe terá que correr para levar as bolinhas para a caixa vazia. Quem conseguir levar mais bolinhas em 30 segundos será o vencedor.
7-ROLA COLCHÃO: Dois colchões e duas bexigas por equipe. Uma criança de cada equipe terá que rolar no colchão e depois estourar a bexiga. Quem conseguir estourar primeiro a bexiga será o vencedor.
8-DANÇA DA LARANJA: Um casal por equipe. Cada casal terá que dançar com uma laranja entre a testa dos dois com as mãos para trás. A equipe que derrubar a laranja sai da dança. O objetivo é ver que equipe consegue ficar mais tempo com a laranja na testa sem deixar cair.
9-CORRIDA DA BOLINHA: Dois participantes por equipe, uma caixa com bolinhas e um blusão por equipe. Um participante veste o blusão que deverá ser amarrada embaixo para que as bolinhas não escapem, o outro buscara as bolinhas e entregará nas mãos do que esta com o blusão que assim deve arrumar a bolinha dentro. No final serão contadas quantas bolinhas cada equipe conseguiu esconder no blusão, quem tiver mais é o vencedor.
10-CORRIDA DA BOLINHA NA COLHER: Um participante por equipe. A equipe que conseguir chegar até o ponto de chegada primeiro equilibrando a colher com a bolinha na boca sem utilizar as mãos e sem deixar a bolinha cair será o vencedor. (caso a bolinha caia terá que voltar para o ponto de partida e começar novamente)
11-CORRIDA PARA ENCHER A GARRAFA: Um participante por equipe. Cada equipe tentará encher uma garrafa PET levando a água do balde até a garrafa correndo com um copinho descartável de café que estará furado no fundo. Quem conseguir em um minuto encher mais a garrafa será o vencedor.
12-VARAL DOS BISCOITOS: Um participante por equipe. O participante tentará comer o biscoito que estará amarrado em um varal sem poder utilizar as mãos. Quem conseguir comer todo o biscoito primeiro será o vencedor.
13-CORRIDA DO SAPATO: Cinco participantes por equipe. Todos terão que tirar os sapatos e encostar de cara para uma parede, os sapatos serão embaralhados e dada à largada cada participante terá que vestir seu sapato. A equipe que conseguir vestir primeiro será o vencedor.
14-LANÇA ARGOLAS: Cada equipe escolherá um participante que seja bom de arremesso. Esse participante tentará acertar a argola no bico da garrafa. Quem conseguir acertar mais argolas ganha.
15-DINÂMICA DA BEXIGA NO PÉ: Cinco participantes por equipe. Cada participante terá uma bexiga amarrada em seu pé direito e com o pé esquerdo tentará estourar a bexiga da equipe adversária sem deixar que estourem a que está amarrada ao seu pé. Quem estiver a bexiga estourada sai da brincadeira. A equipe que ficar com mais bexigas cheias será o vencedor.
16-CARRINHO DE MÃO: Trace duas linhas no chão, uma de largada e outra de chegada. Os participantes dividem-se em pares e se colocam atrás da linha de largada. Todos contam até três e um corredor de cada dupla se abaixa, estica as pernas para trás e apoia as mãos no chão. O outro corredor levanta as pernas do parceiro e as duplas começam a correr, um com os pés e o outro com as mãos. Quem cair volta à posição de largada. Vence quem chegar primeiro à linha de chegada.
17-BATATA-QUENTE DOS BICHOS: Colocar as crianças em círculo. Elas terão de passar um saco com os bichos de brinquedo dentro, enquanto a música é tocada. Não vale demorar-se para passar o saco, nem jogar em cima do outro. Tem que ser passado de mão em mão. Quando a professora parar a música, a criança que estiver com o saco na mão, retira um bicho sem ver, mostra a todos e deve imitar o som e como este bicho se locomove.
18-PEGA-PEGA DIFERENTE: dividir a turma em dois grupos e identifica-los com lenços ou fitas de cores diferentes. Após o sinal do professor, os grupos deverão pegar uns aos outros e a criança “pega” deverá ficar num espaço delimitado pelo professor. Vence o grupo que tiver mais pessoas que não foram pegas.
19-CAIXA-SURPRESA: com uma caixa de papelão encapada, o professor irá mandar para a casa de um aluno a fim de que os pais enviem algum material que possa ser descoberto pelas crianças. O professor vai fazendo descrições do material, até que as crianças descubram o que é.
20-QUE SOM É ESSE? Usando faixas de TNT preto, vendar os olhos dos alunos e fazer diferentes barulhos usando instrumentos musicais, latas, brinquedos, etc. a fim de que as crianças identifiquem os mesmos.
21-PNEUS: esses podem ser usados para várias brincadeiras, como pular dentro e fora, se equilibrar andando sobre a parte de sua lateral ou ainda quem consegue rolar o pneu de um determinado lugar até o outro sem deixa-lo cair.
22-ARREMESSO: o professor fará uma linha no chão usando fita crepe e as crianças deverão arremessar garrafinhas plásticas cheias de areia para frente. O professor irá medir as distâncias e verificar quem conseguiu arremessar mais longe. Depois, em sala, poderá fazer um gráfico explicativo.
23-DENTRO E FORA: fazer uma forma geométrica bem grande no chão e pedir que as crianças entrem na delimitação desse espaço. Se quiser, o professor poderá fazer outra forma dentro da que já fez onde irá pedir que os alunos adentrem também, explorando ainda que se a forma é pequena eles irão ficar apertados.
24-DE ONDE VEM O CHEIRO? O professor irá passar perfume em um paninho e o esconderá na sala, num lugar fácil, onde os alunos deverão descobrir de onde vem o cheiro.
25-TOCA DO COELHO: dispor bambolês no pátio da escola de forma que fiquem duas crianças em cada um e que sobre uma fora do bambolê. Ao sinal do professor, as crianças deverão trocar de toca, entrando duas em cada um. Sempre sobrará uma criança fora da toca.

26-CAIXA DE SENSAÇÕES: o professor pode encapar uma caixa de sapato fazendo um furo em forma de círculo, com dez centímetros de diâmetro. O professor deverá organizar materiais como retalhos, flocos de algodão, pedaços de lixa, tampinhas, caixinhas além de outros objetos e ir colocando-os por uma das extremidades, a fim de que a criança, com a mão do outro lado, identifique o material.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

3º Relatório Avaliativo (2 anos)

Relatórios avaliativos de minha turma de grupo II (2 anos), do ano de 2013 em Educação Infantil.
Obs.: Para preservar identidade das crianças substitui por um nome fictício.
Os relatórios abaixo foram redigidos de acordo com o texto encontrado neste link "Tópicos Avaliativos".
.......................................................................
CRIANÇA 1
Ao ingressar na escola, a criança transpõe o limiar da família e passa a conviver com outras pessoas, descobrindo, à sua maneira, novos valores, novas experiências e novas aprendizagens as quais acompanho através da observação e do registro, compartilhando com seus familiares, seu sucesso e suas conquistas.
No sentido de contribuir para o desenvolvimento integral de Maria, juntamente com sua família, acompanhei através de observações e registros o processo de conhecimento vivido pela mesma, suas conquistas e descobertas.
No que se refere à formação da identidade e ao desenvolvimento da independência e autonomia, observei que Maria demonstra uma imagem positiva de si, realizando suas atividades com confiança.
A criança desenvolveu atitudes de ajuda e colaboração, onde ajuda a guardar os brinquedos nos lugares apropriados, além de manter a sala organizada e arrumada, caso se faça necessário, sem maiores intervenções.
Demonstra atitudes de interesse, respeito e participação pelas manifestações culturais apresentadas no CMEB, onde interagiu de forma prazerosa com todos durante as atividades propostas nos projetos desenvolvidos pela escola.
Maria costuma ser uma criança com comportamento calmo, apreciando momentos de privacidade e quietude. Entretanto, em momentos de brincadeiras livres, já demonstra preferência por ficar mais próxima de determinados colegas, mostrando um comportamento mais agitado em conseqüência do momento.
Sua família acompanhou o seu desenvolvimento no CMEB durante todo o ano letivo, com interesse e participação, sempre dispostos a ouvir minhas colocações, se necessário, ou mesmo relatando fatos da menina.
Através das experiências vivenciadas no CMEB envolvendo movimento e música, Maria participa de ambientes desafiadores que envolvem movimentos e situações de interações. Está desenvolvendo uma motricidade saudável, usando convenientemente gestos e ritmos corporais diversos durante as brincadeiras e atividades propostas, principalmente nas coletivas.
É uma criança que gosta de ouvir comentários e ser valorizada sobre seus esforços, costumando sorrir quando a elogio.
Em momentos de rodinha de cantigas e brincadeiras cantadas com coreografias percebo que Maria tem capacidade de imitação e de memorização musical, onde ouve com atenção além de participar com desenvoltura e respondendo a estímulos.
Com o desenvolvimento de trabalhos com Artes Visuais suas capacidades criativas foram favorecidas, pois demonstra apreciar: pintar; desenhar; modelar e brincar com materiais de construção.
Neste período, Maria ampliou suas capacidades de comunicação e de expressão ao falar e escutar, onde é capaz de participar de situações nas quais: conversa naturalmente, interagindo verbalmente; ouve atentamente histórias contadas e lidas por mim, manifesta interesse em manusear livros, revistas e materiais escritos diversos; também se interessa e se envolve em situações que o professor realiza atos de escrita.
Nos momentos de rodinha, presta atenção para ouvir colocações do outro, realizando comentários sobre o que lê e escuta.
Maria ampliou seus conhecimentos sobre o meio social e natural vivenciando experiências através das quais consegue distinguir alguns objetos ou seres de acordo com suas formas, cores e sons. Realiza tentativa para compreender as coisas e os acontecimentos à sua volta. Reconhece partes do corpo e percebe suas características e funções.  Demonstra interesse e respeito pelo meio ambiente, sempre curiosa por tudo à sua volta. Demonstra ter incorporado hábitos de higiene, pois lembra-se de lavar as mãos após usar o sanitário e antes das refeições, questiona na volta do refeitório se irei dar a escovinha para a sua higienização bucal. Acredito que esses hábitos ficaram mais visíveis após o desenvolvimento de atividades referentes ao projeto sobre higiene bucal desenvolvido por toda equipe pedagógica da instituição.
Por meio de atividades lúdicas como jogos e brincadeiras demonstra estar construindo gradativamente os conceitos matemáticos;  tem noção de quantidade apesar de ainda não reconhecer o símbolo numérico. 

CRIANÇA 2
Ao ingressar na escola, a criança transpõe o limiar da família e passa a conviver com outras pessoas, descobrindo, à sua maneira, novos valores, novas experiências e novas aprendizagens as quais acompanho através da observação e do registro, compartilhando com seus familiares, seu sucesso e suas conquistas.
No sentido de contribuir para o desenvolvimento integral de João, juntamente com sua família, acompanhei através de observações e registros o processo de conhecimento vivido pela mesma, suas conquistas e descobertas.
No que se refere à formação da identidade e ao desenvolvimento da independência e autonomia, observei que João demonstra uma imagem positiva de si. Estabeleceu vínculos afetivos com os colegas e com os adultos do CMEB de maneira descontraída e alegre.
A criança desenvolveu atitudes de ajuda e colaboração, sempre que um colega necessita de sua ajuda mostra-se disponível. Demonstra vontade própria para intervir no meio em que está. Demonstra desejo de independência no que se refere às ações cotidianas.
Através das experiências vivenciadas no CMEB envolvendo movimento e música, João participa de ambientes desafiadores que envolvem movimentos e situações de interações. Está desenvolvendo uma motricidade saudável, onde aprecia participar de jogos e brincadeiras que envolvem habilidades motoras diversas. Gosta de ouvir comentários e ser valorizado sobre seus esforços. Fica muito feliz quando proponho atividades que envolvam música e dança, participando ativamente nesses momentos, tendo capacidade de imitação e memorização musical.  Interessa-se pela escuta de diferentes gêneros e estilos musicais
Com o desenvolvimento de trabalhos com Artes Visuais suas capacidades criativas foram favorecidas, pois explora diferentes materiais em suas produções. Demonstra apreciar: pintar; desenhar; modelar e brincar com materiais de construção;
Neste período, João ampliou suas capacidades de comunicação e de expressão, com desenvolvimento no processo de interação com as pessoas.
A criança é capaz de participar de situações nas quais conversa naturalmente, interagindo verbalmente.
Sua curiosidade o faz manifestar interesse em manusear livros, revistas e materiais escritos diversos.
João ampliou seus conhecimentos sobre o meio social e natural vivenciando experiências através das quais: realiza tentativa para compreender as coisas e os acontecimentos à sua volta; distingui alguns objetos, seres, formas, cores, sons e odores. Tem capacidade para descrever os elementos que compõe a paisagem local. No momento do parquinho ou em atividades feitas em ambiente externos à sala, aprecia brincar com areia, argila, pedrinhas, gravetos e outros elementos da natureza; além de gostar de observar os animais, as plantas, a chuva, o vento e a natureza em geral.
Por meio de atividades lúdicas como jogos e brincadeiras João demonstra ser capaz de pensar e refletir sobre o real vivido e o concebido; está construindo gradativamente os conceitos matemáticos; tem noção de quantidade.

CRIANÇA 3
Ao ingressar na escola, a criança transpõe o limiar da família e passa a conviver com outras pessoas, descobrindo, à sua maneira, novos valores, novas experiências e novas aprendizagens as quais acompanho através da observação e do registro, compartilhando com seus familiares, seu sucesso e suas conquistas.
No sentido de contribuir para o desenvolvimento integral de Maria, juntamente com sua família, acompanhei através de observações e registros o processo de conhecimento vivido pela mesma, suas conquistas e descobertas.
No que se refere à formação da identidade e ao desenvolvimento da independência e autonomia, observei que Maria demonstra uma imagem positiva de si, onde realiza suas atividades com confiança e valorizando suas características físicas. É uma criança que manifesta seus desejos e emoções de forma intencional na interação com o outro, além de apreciar momentos de privacidade e quietude. Quando necessário, ajuda a guardar os brinquedos nos lugares apropriados, algumas vezes através de minha orientação.
Através das experiências vivenciadas no CMEB envolvendo movimento e música, Maria participa de ambientes desafiadores que envolvem movimentos e situações de interações onde está desenvolvendo uma motricidade saudável. Participa de jogos e brincadeiras que envolvem habilidades motoras diversas com desenvoltura, respondendo a estímulos e fazendo imitações. Usa convenientemente gestos e ritmos corporais diversos, deslocando-se no espaço com destreza, sem ajuda. Gosta de ouvir comentários e ser valorizada sobre seus esforços. Gosta de ouvir musica, cantar e dançar, além de ter capacidade de imitação e de memorização musical. Também aprecia confeccionar materiais sonoros de sucata.
Com o desenvolvimento de trabalhos com Artes Visuais suas capacidades criativas foram favorecidas, pois demonstra apreciar: pintar; desenhar; modelar e brincar com materiais de construção e com sucata.
Neste período, Maria ampliou suas capacidades de comunicação e de expressão ao falar, escutar, ler e escrever, com desenvolvimento no processo de interação com as pessoas. A criança é capaz de participar de situações nas quais: conversa naturalmente, interagindo verbalmente; ouve atentamente histórias contadas e lidas por mim; além de manifestar interesse em manusear livros, revistas e materiais escritos diversos. É capaz de elaborar perguntas simples e respostas claras, o que lhe proporcionou incorporar novas expressões, permitindo prestar atenção para ouvir colocações do outro.
Maria ampliou seus conhecimentos sobre o meio social e natural vivenciando experiências através das quais identifica os elementos que constituem sua família, além de demonstrar ter incorporado hábitos de higiene pessoal e bucal.
Por meio de atividades lúdicas como jogos e brincadeiras Maria demonstra estar construindo gradativamente os conceitos matemáticos, tem noção de quantidade.
Sua família acompanhou o seu desenvolvimento no CMEB durante todo o ano letivo sempre dispostos a ouvir minhas colocações, se necessário, ou mesmo relatando fatos da menina. Maria mostrou-se alérgica no decorrer das aulas, onde neste final de ano, após exames específicos, foi confirmada sua alergia a corantes industrializados (por exemplo, iogurte ou sorvete de morango), não havendo maiores problemas com os naturais (colorífico).

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

3º Perfil de Turma (2 anos)

Redigi este relatório sobre minha atual turma de 2 anos (Grupo II).
Obs.: Todos os meus relatórios estão postados aqui no blog. Não envio nem escrevo relatórios para terceiros.

......................................

Ao ingressar na escola, a criança transpõe o limiar da família e passa a conviver com outras pessoas, descobrindo, à sua maneira, novos valores, novas experiências e novas aprendizagens as quais acompanho através da observação e do registro, compartilhando com seus familiares, seu sucesso e suas conquistas.

No sentido de contribuir para o desenvolvimento integral da turma, juntamente com sua família, acompanhei através de observações e registros, seu processo de conhecimento, suas conquistas e descobertas.

O grupo II-B vespertino encerrou o ano com 18 crianças, sendo 10 meninas e 08 meninos, onde apenas uma menina frequenta a instituição escolar integralmente.

A APEI Luiza recebe as crianças no portão de entrada e as acompanha para a sala onde eu as recebo e oriento para guardarem seu material pessoal. Todas as crianças já conhecem o combinado de deixarem as bolsas sobre a mesa e a garrafinha (ou copinho) sobre a bandeja.
Durante as rodinhas, todos os envolvidos conhecem e utilizam os nomes uns dos outros, inclusive dos adultos. Geralmente gostam de conversar sobre fatos que acontecem em sua vida familiar, como passeios ou algo que ganharam de presente. Costumam relatar outros fatos ao mesmo tempo que escutam outras falas.

As crianças conhecem as bolsas e garrafinhas dos demais colegas onde estão sempre lembrando uns aos outros de guardar em seu devido local. Sempre após as brincadeiras ou atividades, lembro às crianças o que iremos fazer e logo começam a guardar os brinquedos ou material utilizado naquele momento. Algumas crianças perguntam onde deve-se guardar determinado objeto, outras ficam orientando os colegas mais quietos para agilizar o procedimento, e há aqueles que preciso ficar intervindo para ajudar os demais no qual dizem estar “cansados” tentando fugir do combinado.
No decorrer do projeto “Alimentação saudável e saúde bucal” as crianças receberam de maneira lúdica informações importantes que servirão para minimizar possíveis enfermidades que podem comprometer sua saúde física e bucal. Participaram com muito empenho e curiosidade de todas as atividades propostas, sempre lembrando uns aos outros de comer direitinho e escovar os dentes tanto na sala quanto em casa.

Outro momento bem descontraído e que aproveitaram muito foram os passeios no Projeto Tamar e na praia. Nesses momentos, também lembraram-se de obedecer aos combinados feitos para um bom convívio social. Souberam compartilhar os lanches (tanto o que a escola ofereceu quanto os que levaram de casa) com todos os colegas. Também participaram das brincadeiras com alegria e aguardaram o andamento do passeio sempre seguindo minhas orientações com cuidado.

As crianças, no decorrer de todo ano letivo, ampliaram gradativamente suas possibilidades de comunicação e expressão. Incentivei-as a terem gosto pela leitura não só através de histórias, mas também por meio de exploração de parlendas e cantigas, revistas e folhetos de comércio em atividades como: observações e conversas informais em rodinhas, confecção de cartazes e objetos com sucatas.

Essas práticas de leitura tornaram-se muito divertidas para todos, pois puderam relatar fatos de seu cotidiano compartilhando outras ideias com os colegas não só em sala de aula, mas também em outros ambientes da escola, como a biblioteca, parquinho, gramado, corredor próximo à sala, refeitório.

Para as atividades artísticas, tanto comigo quanto com a professora de Múltiplas Linguagens, tem sido proporcionado diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação: papelão, papéis variados (cartolina, kraft, cartão, celulose), tintas, tecidos, isopor, etc. A frequência dessas atividades varia de acordo com a necessidade da turma e disposição desses materiais, geralmente acontecendo de duas a três vezes durante a semana, onde esses trabalhos são expostos na sala ou no corredor próximo, sendo que algumas vezes são expostos no mural da escola ou no coletivo juntamente com os outros trabalhos realizados pelas outras turmas da instituição de ensino para finalizar e apresentar os projetos desenvolvidos à comunidade.

Os conhecimentos matemáticos são trabalhados no decorrer das atividades diárias, seja durante uma atividade dirigida e mesmo em brincadeiras no parquinho (exploração de quantidades, sequências,comparações, contagens) ou momentos no refeitório (explorando quantidade, peso, temperatura  dos alimentos). No geral, as crianças já conseguem realizar contagem oral até 10 (algumas vão além), participam de jogos compondo figuras, manipulam diferentes objetos possibilitando empilhar, rolar encaixar sem maiores dificuldades. Quando lhe são apresentados momentos no qual a compreensão temporal se faz necessário, necessitam de uma maior intervenção minha para que possam compreendê-las.

O parquinho é um local muito prazeroso para todos onde possibilita soltar a imaginação e proporcionar uma melhor interação nas brincadeiras. Se antes preferiam brincar com os objetos de sucata que eu levava (potes,pás, latas, carrinhos,peças), agora preferem formar grupinhos distintos, de meninas ou meninos, e aventurarem-se nos balanços e escorregadores, além de organizarem brincadeiras de pique-pega, mamãe e seus filhinhos. Quando cansam-se das brincadeiras sentam-se num canto no gramado ou vêm para perto de mim ou da APEI para logo voltarem às brincadeiras.

As crianças circulam pelo ambiente escolar sempre acompanhadas pela APEI Luiza ou por mim, ora fazemos um trenzinho (fila) ora andam livres, para que aos poucos entendam que há momentos na vida que se faz necessário o uso da fila para um bom andamento da organização social e que também podemos andar livremente desde que com atenção e cuidado.

Os momentos de refeição são sempre realizados no refeitório, onde as crianças comem sozinhas sempre com minha supervisão e da APEI, onde orientamos quanto ao modo correto de utilizar os talheres. A maioria das crianças costumam comer todos os alimentos oferecidos. Quando há algo que não querem mais, deixam num canto do prato, não jogando mais embaixo da mesa. Percebi que neste final de ano, estão rejeitando o mingau e o café com leite no momento do lanche, provavelmente devido ao calor da estação. No jantar, preferem mais a refeição habitual (arroz branco, feijão, carne vermelha ou empanado, algumas saladas) chegando a repetir. Quando lhe são servidos,por exemplo, um arroz temperado ou moqueca de peixe,geralmente rejeitam a refeição, provando só um pouquinho.
Os banhos acontecem somente quando se faz necessário no caso de uma criança vomitar ou defecar na roupa, ou mesmo se por acaso se suje muito com algum material, necessitando que lhe troque a roupa para que continue participando das atividades diárias com prazer e descontração. Na sala apenas uma criança ainda necessita do uso de fraldas, mas já percebi que algumas vezes quando precisa ir ao banheiro pede para tirá-la para urinar.

A turma já não faz uso do momento do sono, são crianças alegres e muito ativas, sempre envolvidas em alguma atividade ou brincadeira. Entretanto, Henzo ainda necessita desse período de repouso, onde a APEI Luiza prepara um cantinho com colchonete. Costuma dormir no momento quando vamos pro refeitório (lanche ou jantar). O fato já foi citado à mãe na qual relatou somente neste final de ano que a criança está com anemia.
Enfim, observei que as crianças estão demonstrando maior confiança e  intimidade  para se expor no grupo e ouvir as experiências dos colegas além de estarem mais comunicativos, interagindo melhor entre si, relatando fatos vivenciados com naturalidade, demonstrando uma ampliação do vocabulário.
As crianças tiveram a oportunidade de vivenciaram diferentes papéis sociais, através de brincadeiras e dramatizações, aprendendo a conhecê-los e diferenciá-los, entendendo os diferentes acontecimentos e as pessoas do mundo ao seu redor.
As propostas de atividades levaram em conta a diversidade do grupo e ao mesmo tempo procuraram garantir o desenvolvimento pleno das crianças e o seu acesso ao conhecimento.
De acordo com as atividades propostas do trabalho educativo deste CMEB e objetivos estabelecidos durante o processo de ensino-aprendizagem, as crianças vêm criando uma imagem positiva de si onde sua autoconfiança está sendo ampliada identificando suas limitações e possibilidades na construção de sua identidade e conquista da autonomia.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Artes: Vinícius de Moraes

Atividades realizadas para o projeto sobre Vinícius de Moraes. A maioria das atividade foram propostas pelas educadoras Arlete e Joana em suas aulas de Múltiplas Linguagens.
























domingo, 27 de outubro de 2013

Terror Noturno

Certa noite, meu bebê acordou chorando muito e chamando “mã-mã-mã”.

No momento meu instinto fez-me pegá-lo logo no colo pra acalentar. Por uns 15min tentei mostrar que eu estava ali e não precisava sentir medo de nada.

Aos poucos Otávio foi se acalmando e voltou a dormir tranquilamente.

Pesquisando num site de busca descobri que provavelmente ele passou pelo “Terror Noturno”.

Fonte 1:Bebê Abril
Fonte 2: Baby Center

Terror noturno é um transtorno do sono misterioso, que ocorrem quando a criança está numa fase em que dorme profundamente, mas não sonha.

Durante uma crise de terror noturno, a criança pode chorar, gritar, gemer, sentar na cama e se debater. Mesmo que ela esteja de olhos abertos, não sabe que você está ali e não se acalma. A crise pode durar alguns minutos ou até mais de meia hora, e, depois que passa, a criança volta a dormir. No dia seguinte, não vai lembrar de nada.

Claro que seu primeiro instinto vai ser tentar acalmar seu filho. Os especialistas recomendam nem mesmo falar com a criança ou pegá-la no colo, porque isso pode prolongar o episódio.

Para evitar que o terror noturno aconteça:

·  veja se ele está dormindo o suficiente. Crianças que ficam cansadas demais têm mais tendência a passar por terrores noturnos.

·  prolongue a soneca da tarde, deixe-o dormir um pouco mais de manhã ou então coloque-o na cama mais cedo à noite.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

2º Perfil deTurma (2 anos)

Redigi este relatório sobre minha atual turma de 2 anos (Grupo II).
Obs.: Todos os meus relatórios estão postados aqui no blog. Não envio nem escrevo relatórios para terceiros.
......................................

O grupo II-B, composto por 18 crianças, atualmente está com 10 meninas e 08 meninos, sendo que apenas uma menina frequenta o ambiente escolar integralmente. São crianças assíduas, faltando geralmente somente quando adoecem.

Ao chegar à instituição escolar, os pais deixam as crianças no portão principal sendo recebidas pela monitora, onde são encaminhadas para sala de aula sendo recepcionadas por mim. As crianças já conhecem o combinado de deixar sua bolsa sobre a mesa e as garrafinhas de água na bandeja para depois sentarem-se no tatame para o momento da rodinha de conversa ou cantigas. Algumas crianças, por terem um comportamento mais ativo e extrovertido, costumam ignorar esse combinado, ficando pulando ou mexendo em alguns objetos pela sala. Preciso sempre estar chamando a atenção para que essas crianças lembrem-se dessa norma da sala.

Durante as rodinhas de conversa, todos os envolvidos (crianças ou adultos) conhecem e utilizam os nomes dos colegas. Gostam de conversam sobre tudo, principalmente sobre passeios feitos com familiares. A maioria escuta com atenção a fala do colega, os demais, costumam relatar outros fatos ao mesmo tempo que escutam outras falas.

Todas as crianças conhecem as bolsas e garrafinhas dos demais colegas onde estão sempre lembrando uns aos outros de guardar em seu devido local. Na sala há disponível duas mesas com cadeiras onde intercalo grupinhos para o momento da atividade. Quando proponho uma atividade coletiva costumo fazer no chão, pois as mesas não comportam toda a turma num único momento. Ao término das atividades ou brincadeiras oriento para a organização da sala, onde já conhecem os devidos locais para guardar todo o material utilizado. Demonstram cuidado com os materiais utilizados durante as atividades e objetos produzidos individualmente ou em grupo.

Neste período foram trabalhadas atividades relacionadas ao projeto “Família de Leitores” e confeccionamos objetos com sucata para ilustrar o painel coletivo da escola com o tema “Cultura Nordestina”. As crianças apresentaram-se naturalmente curiosas, participando com afinco das atividades.

Com relação à linguagem oral as crianças estão desenvolvendo bem sua dicção e também não tiveram dificuldade para expressar suas necessidades. São bastante comunicativos. Sempre relatam fatos de seu cotidiano seja durante as brincadeiras ou numa roda de conversa. Mesmo aquelas que antes quase não se ouvia sua voz, agora comunica-se com um pouco mais de desenvoltura, de maneira simples.

Contar histórias é um momento muito prazeroso para a turma, principalmente quando envolvem personagens animais. A biblioteca é um ambiente muito apreciado pelas crianças, onde ouvem histórias associando com algum momento de sua vida.

Com relação à psicomotricidade que engloba esta faixa etária, a música e o movimento possibilitaram o desenvolvimento da coordenação global dos educandos. É possível, perceber que os alunos, já fazem uso do equilíbrio, o que vem ampliando progressivamente a destreza para deslocarem-se no espaço em atividades que exijam movimentos como, correr, pular, engatinhar, arrastar, rolar e etc.

A turma, além das atividades habituais em sala, também participa semanalmente de aulas de Múltiplas Linguagens, onde também são oferecidos materiais diversificados para as atividades artísticas. Apreciam muito quando lhe são oferecidos materiais com texturas diferentes e tintas. Tento sempre expor suas produções coletivas pelo corredor próximo à sala de aula, já as produções individuais deixo expostas na própria sala.

O momento do parquinho é muito aguardado pelas crianças. Deixam os sapatos guardados na sal e me ajudam levar um saco com sucatas (pás, latas, baldinhos, carrinhos, potes) para brincarem na areia. Já conseguem juntar-se em grupinhos para organizar as brincadeiras onde oriento sobre cuidados necessários durante essas brincadeiras num local mais aberto.

Costumam circular por diferentes locais na escola. às vezes peço que formem filas, outras peço que andem de mãos dadas com os colegas, outras deixam que andem mais livremente, vivenciando diferentes maneiras de se relacionarem-se.

Os momentos de refeição são bem agradáveis. A monitora e eu sempre ajudamos no momento de servir e oriento para provar novos alimentos ou no caso de rejeição, para que deixe num canto do prato. Percebo que não apreciam quando lhe são servidos alimentos mais incrementados como arroz temperado, strogonofe, preferindo os mais simples como arroz branco, salada, empanado, feijão.

As crianças que faziam uso de fraldas já utilizam o banheiro corretamente. Como na sala tem um banheiro, já possuem autonomia para utilizarem sozinhos, sendo orientados para fazerem a higienização correta.

A turma não tem um momento para o sono, entretanto apenas uma criança ainda necessita desse tempo. Costuma dormir em qualquer lugar quando o sono chega (mesmo no refeitório). A monitora o encaminha para a sala preparando um cantinho com colchonete para que possa repousar.

O relacionamento entre as crianças costuma ser bastante agitado, devido seu comportamento ativo e questionador.

Aguardando a chegada de Otavio.

Aguardando a chegada de Otavio.
Abençoada seja sua vinda, meu filho!

Foto: meu amor Anderson

Foto: meu amor Anderson

Foto: pais Josedino e Conceição

Foto: pais Josedino e Conceição

botão redes sociais