Google Tradutor

Quem sou eu

Minha foto
Espírito Santo, Brazil
Professora Educação Infantil. Costumo ser reservada e tímida, ás vezes gosto de ficar sozinha. Vivo o presente. Sou do tipo de pessoa que vive o “aqui e agora”. Não gosto deixar nada pra depois. Preciso de liberdade e independência para fazer minhas próprias coisas. Alegria sempre. Nada de ficar reclamando das dificuldades. Deus conhece nossa capacidade. "Posso não saber o quanto vou ter que caminhar, mas eu continuarei andando e sorrindo. Vou aprendendo a viver e a conviver. Levo comigo uma bagagem cheia de decepções, momentos felizes e alguns não muito.. meus erros, minhas lágrimas, minhas derrotas e vitórias... Não quero ser perfeita , eu quero é cair e levantar rindo... levantar e limpar as mãos e os joelhos e me preparar para correr de novo ,dessa vez mais rápido ainda. Se não quiser que eu te decepcione não faça demasiadas expectativas..."

Marcadores

educação (85) 2011 (56) atividade (50) relatório (50) comportamento (42) arte (39) 2010 (38) desenvolvimento (38) Educação Infantil (36) produto testado (35) 2012 (34) informação (34) maquiagem (33) criatividade (32) bebê (29) mensagem (29) 2013 (28) 2009 (25) avaliação (24) 2019 (20) cosmético (16) 2018 (15) infantil (15) 2015 (14) 2017 (14) blog (14) 2016 (13) filho (12) estilo (11) 2014 (10) Otávio (10) coordenação motora (10) culinária (10) alfabetização (9) conteúdo (8) história (8) Lettering (7) vídeo (7) 2008 (6) brincadeira (6) cores (5) gravidez (5) pintura (5) saúde (5) 2020 (4) Cecília Meireles (4) autismo (4) berçário (4) doença (4) educação especial (4) gestação (4) lei (4) páscoa (4) sorteio (4) borda (3) contagem (3) curiosidade (3) filme (3) lembrancinha (3) livro (3) música (3) receita (3) Mary Kay (2) Posca (2) Vinícius de Moraes (2) aniversário (2) cabelo (2) educação fundamental (2) forma geométrica (2) fralda (2) mural (2) máscara (2) olhos (2) rímel (2) saúde bucal (2) Cora Coralina (1) Jequiti (1) Stabilo (1) alfabeto (1) brinquedos (1) caligrafia (1) capa (1) cartaz (1) cartão (1) cirurgia (1) creme (1) diário digital (1) dobradura (1) eletrodoméstico (1) esmalte (1) estilo sobrancelha (1) faixa (1) gelatina (1) greve (1) jogo (1) kit (1) lenço (1) moda (1) mordida (1) móbile (1) natal (1) obras (1) pais (1) parlenda (1) pomada assadura (1) projeto (1) quebra cabeça (1) regras (1) sobremesa (1) sucata (1) tireóide (1) técnica (1) água (1)

segunda-feira, 21 de março de 2016

Mordidas na Educação Infantil



Com certeza um dos maiores temores das mães com filhos no berçário refere-se às mordidas. Senti a necessidade de preparar um texto informativo para minha turma de berçário esse ano e encontrei este abaixo. 


PORQUE AS CRIANÇAS MORDEM?
Existem vários motivos para que as crianças mordam. Desde o aparecimento dos primeiros dentes até aproximadamente os 2 anos, é normal. As crianças costumam morder brinquedos, pessoas de seu convívio e objetos de seu dia-a-dia. A mordida na escola é uma situação constrangedora para todos os envolvidos. Os pais da criança mordedora sentem-se muito mal, ficam envergonhados, os pais da criança agredida ficam chateados com o machucado do filho e sentem-se culpados por deixarem a criança na escola. Já a escola, por sua vez, tem a difícil tarefa de mediar as relações entre as crianças e seus familiares, a fim de amenizar os sentimentos negativos da situação. Fazem isso em busca de novas sensações e movimentos, tomando assim, aos poucos, consciência de seu próprio corpo – de seu “eu corporal” e de seus limites. Esse evento é conhecido como “fase oral”. Fase pela qual a criança começa a interagir com o mundo, através de sua boca. E é justamente através da boca que a criança faz importantes descobertas e começa a separar o que a constitui daquilo que constitui o outro. Provoca reações ao mesmo tempo em que revela diferentes e inéditas sensações. Outra razão para que as crianças mordam é por conta da necessidade de se comunicarem. Assim conseguem, através das mordidas, expressar seu descontentamento, suas frustrações, seus desejos e necessidades. Algumas vezes nós, adultos, expressamos amor por alguma criança, usando expressões errôneas, como: “Que lindo, dá até vontade de morder!” ou “Posso morder essa barriguinha?”. Não podemos esquecer que o adulto é, de fato, o primeiro modelo a ser seguido pela criança. Fique atento!

Fonte: site Centro Clínico Psicopedagógico Eliane Candido.


Também encontrei essa postagem retirada da revista Nova Escola no site Espaço Educar.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar sobre este post!

Comentário será liberado após moderação; caso faça agressão gratuita poderá ser excluído. Evite escrever em letras maiúsculas.

Beijinhos sabor chocolate! Paz em seu coração!

Aguardando a chegada de Otavio.

Aguardando a chegada de Otavio.
Abençoada seja sua vinda, meu filho!

Foto: meu amor Anderson

Foto: meu amor Anderson

Foto: pais Josedino e Conceição

Foto: pais Josedino e Conceição

botão redes sociais