Google Tradutor

Quem sou eu

Minha foto
Espírito Santo, Brazil
Professora Educação Infantil. Costumo ser reservada e tímida, ás vezes gosto de ficar sozinha. Vivo o presente. Sou do tipo de pessoa que vive o “aqui e agora”. Não gosto deixar nada pra depois. Preciso de liberdade e independência para fazer minhas próprias coisas. Alegria sempre. Nada de ficar reclamando das dificuldades. Deus conhece nossa capacidade. "Posso não saber o quanto vou ter que caminhar, mas eu continuarei andando e sorrindo. Vou aprendendo a viver e a conviver. Levo comigo uma bagagem cheia de decepções, momentos felizes e alguns não muito.. meus erros, minhas lágrimas, minhas derrotas e vitórias... Não quero ser perfeita , eu quero é cair e levantar rindo... levantar e limpar as mãos e os joelhos e me preparar para correr de novo ,dessa vez mais rápido ainda. Se não quiser que eu te decepcione não faça demasiadas expectativas..."

Marcadores

quinta-feira, 6 de abril de 2017

1º Perfil de Turma: berçário

Obs.: essa turma encontra-se com faixa etária aproximada de 1 ano e 3 meses.

A turma do grupo I-B vespertino iniciou o ano composta por 16 crianças, sendo 11 meninas e 5 meninos. Desse total nenhuma criança frequenta a instituição em período integral. Não há criança com necessidades especiais no grupo. É uma turma novata, pois para todas as crianças está sendo seu primeiro contato com o ambiente escolar. Além de mim na sala, conto com o apoio e parceria de mais duas profissionais (APEI’S) que me auxiliam durante todo o momento com o trabalho de cuidar e educar essas crianças tão pequenas.

Nas primeiras semanas a turma apresentou-se chorosa ao se despedir-se de seus familiares, o que é esperado para essa fase. Costumo deixar brinquedos no tapete para que possam interagir com o material além de facilitar sua socialização com todos no grupo (crianças e adultos). Aos poucos, com o acolhimento carinhoso e paciência dispensados tanto por mim quanto pelas APEI’s, estão se adaptando e sentindo-se mais seguras e confiantes não só com o novo espaço quanto com os novos colegas.

As crianças chegam com seus familiares, em geral com a mãe ou o pai. São recebidas por mim na sala de aula e também pelas APEI’s, sempre com um sorriso no rosto dando bom dia. Ao chegarem, as crianças são acolhidas no tapete da sala com brinquedos, deixamos suas mochilas em cima da poltrona existente na sala para depois levar ao ambiente do lavatório. Os calçados são guardados nas próprias mochilas para que possamos ir ao parquinho.

Por serem crianças ainda muito pequenas, a maioria ainda não apresenta uma oralidade bem desenvolvida, quase não escuto sua voz, geralmente comunicando-se por balbucios e gesticulações. Costumam comunicar-se com palavras simples, sons e muitas gesticulações, geralmente para expressar sentimentos e desagrados. Minutos antes da saída, chamo as crianças para cantar ou coloco músicas para dançar; na medida em que a família chega vou entregando suas mochilas e nos despedindo.

Os convido para sentar num tapete emborrachado próximo à janela, mas ainda estão se acostumando com o momento de cantigas de roda: são poucos que batem palmas. Costumam ficar nos olhando, geralmente com um sorriso no rosto.

Ainda tenho dificuldades em realizar as rodas de conversa e cantigas com as crianças. Seu tempo de concentração é muito curto e ainda se dispersam com qualquer movimento ou barulho na escola. Costumo deixar a porta da sala fechada para que possa, de alguma forma, chamar sua atenção para mim e aconchegamos os menores mais próximos ao meu corpo ou das APEI’s.  

As crianças estão se ambientando com o parquinho, pois os levo para a casinha de areia onde brincam com os brinquedos disponíveis. Algumas que se mostram chorosas na entrada, ficam mais calmas nesse momento, brincando perto de mim ou das apeis. São poucas crianças que preferem ficar apenas circulando pela casinha para observar o ambiente ou os outros colegas. Quando terminamos poucos ajudam a guardar os brinquedos num canto da casinha, mesmo depois de muita intervenção.

Todas as crianças já andam, sendo necessário somente mostra-lhes os espaços a serem seguidos para cada atividade. Todas fazem uso da fralda descartável para suas necessidades fisiológicas. O banho acontece após a troca das fraldas para evitar assaduras e quando mais se achar necessário, seja devido o calor ou mesmo para deixá-los mais confortáveis no ambiente. A troca de fraldas é tranquila, são feitas pelas APEI’s com carinho e atenção. Poucas crianças fazem uso da chupeta, mas procuramos dar somente na hora de dormir ou quando estão muito chorosas.

Alimentam-se na própria sala, num espaço reservado às refeições. Por enquanto, alimentam-se com nossa ajuda, sendo que alguns comem pouco, por estarem se acostumando com a rotina da escola. Há um menino com intolerância à lactose e com laudo, onde a escola fornece leite de soja.


É tranquila a interação das crianças com os adultos da sala, a interação entre as crianças às vezes é conflituosa, nem sempre aceitam compartilhar um brinquedo. Há casos de ciúmes onde uma criança empurra ou tenta morder outra, seja para pegar um brinquedo ou mesmo tentar ficar no meu colo ou no das APEI’s. Sobre as mordidas, já estou conversando com as mães para evitar esses conflitos e também já enviei um texto explicativo sobre essa fase oral tão delicada e conflituosa para todos os envolvidos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar sobre este post!

Comentário será liberado após moderação; caso faça agressão gratuita poderá ser excluído. Evite escrever em letras maiúsculas.

Beijinhos sabor chocolate! Paz em seu coração!

Aguardando a chegada de Otavio.

Aguardando a chegada de Otavio.
Abençoada seja sua vinda, meu filho!

Foto: meu amor Anderson

Foto: meu amor Anderson

Foto: pais Josedino e Conceição

Foto: pais Josedino e Conceição

botão redes sociais